Nota de Apoio para Agamenon Oliveira: afastado sem direito de defesa do Cepel

29 de janeiro: Dia Nacional da Visibilidade Trans
janeiro 29, 2024
Acordo de PLR é assinado após votação das Assembleias da base de Caxias
janeiro 31, 2024

Nota de Apoio para Agamenon Oliveira: afastado sem direito de defesa do Cepel

O Sindipetro Caxias vem expressar apoio a Agamenon Oliveira, companheiro suspenso de suas atividades laborais no Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel) da Eletrobras privatizada, por e-mail e sem direito de defesa.

Agamenon Oliveira é diretor executivo do Sindicato dos Engenheiros (Senge-RJ) e ex-presidente do Sindicato e da Associação de Funcionários do Cepel (ASEC). Seu afastamento, após 50 anos de carreira reconhecida no setor elétrico nacional e internacional, está ligado à postura antissidical que a empresa vem assumindo, e que foi agravada após a privatização.

Segundo relatos dos Sindicatos, a relação do Cepel com seus funcionários, principalmente com aqueles que integram o movimento sindical, tem se destacado por ações antissindicais. A suspensão de Agamenon de Oliveira de suas atividades laborais, sem ser escutado, apesar de anos de trabalho reconhecido dentro e fora do país, é prova disso.

De acordo com a diretoria do Cepel, o desligamento temporário teria como base uma denúncia de “falta grave por mau procedimento”. E, sem escutar Agamenon antes ou depois da decisão, a empresa o afastou em procedimento totalmente unilateral. O foco da empresa é silenciar e perseguir àqueles que lutam pelos direitos dos trabalhadores. O desmonte privatista acontece através de demissões subjetivas e do corte de recursos, encerramento laboratórios e linhas de pesquisa.

Os trabalhadores do Cepel estão penando para negociar a PLR ainda de 2022, e o ACT de 2023. Os temas são constantemente tirados da pauta das reuniões de maneira unilateral pela empresa que se recusa a debater sobre os direitos da categoria.

O Sindipetro Caxias está junto na luta pelo reestabelecimento do posto de trabalho do companheiro Agamenon Oliveira. A postura antissindical da Cepel deve ser freada e os trabalhadores devem ter o direito de livre associação garantido por lei respeitado.

Sindipetro Caxias | 30/01/2024